domingo, julho 02, 2006

A pracinha das crianças e dos velhinhos


Hoje de manhã fomos tirar foto na lagoa. Fiquei um tempo sentada na pracinha das crianças, aquela onde o povo da Caras sempre consegue flagrar uma global em momentos "relax" ("fulaninha em jardineira Diesel, óculos Dior, bolsa Prada, com seu filho fulaninho em macaquinho Diesel kids, chupeta Dior kids etc etc).

Olhando além dos modelinhos etiquetados, a pracinha tem coisas bem mais interessantes. Dividida em duas partes (um parquinho e uma área com mesinhas do tio do coco), ela atrai, além das crianças e suas babás de branco, muitos velhinhos também com babás de branco. Eles não conseguem descer no escorregador nem brincar de gangorra, mas ficam ali, nos seus carrinhos de rodas grandes, aproveitando o sol e brincando com as mãos das babás. Como as crianças, não conseguem usar muito bem a voz e as palavras. Mas absorvem como ninguém o mundo em silêncio.

Engraçado como gerações tão distantes procuram os mesmos espaços. O que será que cada um busca ali? Fácil: buscam a alegria das coisas simples da vida. Como sentir o vento cachear o cabelo ou acompanhar o plano de vôo dos passarinhos. Daí fico pensando: a vida só pode ser mesmo cíclica. Ao final, a gente vai se aproximando mais e mais do que éramos quando nascemos. E resgatamos os superpoderes que nos fazem ver através das aparências e sentir além das emoções fugazes. A vida é uma ciranda, gente! E quando eu estiver velhinha quero que me coloquem no balanço!

2 comentários:

Tutu disse...

Muito bonito o seu post, tutu. Se o criador deixar, eu te coloco no balanço... Ou será que vamos balançar juntos?

M. disse...

Ferdi e Priscila, depois de conhecer a "real casa da lagoa", fico feliz de visitar essa "virtual casa da lagoa". Bem-vindos ao mundo dos blogs. Os textos estão ótimos. Já virei fã. beijos.